Trump pede fim da revanche política em discurso de Estado da União

  • 06/02/2019
  • 1
  • Categoria(s): Notí­cias Populares |

IDR Hazardous Waste Disposal Blog - IDR Environmental Services

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu ao Congresso ...

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu ao Congresso nesta terça-feira (horário local, madrugada de quarta-feira no Brasil) que se una em um momento de profunda divisão partidária. Ele também defendeu um compromisso sobre imigração e segurança em seu discurso sobre o Estado da União.

“Podemos tornar nossas comunidades mais seguras, nossas famílias mais fortes, nossa cultura mais rica, nossa fé mais profunda e nossa classe média maior e mais próspera do que nunca”, disse Trump.

“Mas devemos rejeitar a política de vingança, resistência e revanche – e abraçar o potencial ilimitado de cooperação, compromisso e bem comum. Juntos, podemos quebrar décadas de impasse político.”

Foi o primeiro discurso do presidente no Congresso desde que os democratas se tornaram majoritários na Câmara dos Deputados, deixando o Congresso dividido com republicanos de Trump ainda no controle do Senado.

O presidente americano foi aplaudido diversas vezes durante o discurso, que durou cerca de 85 minutos, mas foi recebido com o silêncio dos democratas, liderados pela presidente da Câmara, Nancy Pelosi, quando ele se voltou para o espinhoso tema da imigração.

Com a promessa de que o controverso muro da fronteira será construído apesar da oposição dos legisladores democratas, ele pediu ao Congresso que “trabalhe em conjunto” e faça um acordo para melhorar a segurança nas fronteiras.

“No passado, a maioria das pessoas nesta sala votou por uma parede – mas o muro apropriado nunca foi construído. Vou conseguir construí-lo”, disse ele, referindo-se aos legisladores de ambos os partidos políticos que ele enfatiza repetidamente votado por barreiras físicas nos anos anteriores.

 O discurso de Trump aconteceu antes do prazo final, em 15 de fevereiro, dado ao Congresso para concordar com o financiamento para a construção de um muro fronteiriço que foi sua promessa de campanha.

Os democratas, que controlam a Câmara dos Deputados, rejeitaram repetidas vezes as exigências de financiamento de Trump, dizendo que ele fez do projeto do muro uma cruzada política para demonizar os imigrantes e agradar seu eleitorado.

Trump já tentou pressionar o Congresso a apoiar sua ideia, recusando-se a aprovar orçamentos para setores do governo federal, levando a uma paralisação de cinco semanas em cerca de 800 mil empregos no governo.

 “Simplificando, muros funcionam e muros salvam vidas. Então vamos trabalhar juntos, fazer concessões e chegar a um acordo que realmente torne os Estados Unidos seguros”, acrescentou Trump.

O segundo discurso do Estado da União de Trump veio com os democratas prometendo usar seu novo controle sobre os comitês da Câmara para lançar várias investigações sobre tudo, desde sua fundação de caridade e declarações fiscais até possível conluio com a intromissão russa nas eleições de 2016.

“Um milagre econômico está ocorrendo nos Estados Unidos, e a única coisa que pode impedi-lo são guerras tolas, políticas ou investigações partidárias ridículas”, disse Trump.

O presidente dos EUA informou que vai realizar sua tão esperada segunda cúpula com o líder norte-coreano Kim Jong Un em 27 e 28 de fevereiro no Vietnã.

“Se eu não tivesse sido eleito presidente dos Estados Unidos, estaríamos agora, em minha opinião, em uma grande guerra com a Coreia do Norte”, disse Trump em seu discurso anual sobre o Estado da União ao Congresso.

Sobre o Afeganistão, Trump garantiu que as negociações têm avançado. “Meu governo está mantendo conversas construtivas com vários grupos afegãos, incluindo o Talibã”, disse Trump em seu discurso anual sobre o Estado da União ao Congresso, avaliando “uma possível solução política para esse longo e violento conflito”.

O tom usado com a China, por outro lado, continuou forte.

“Agora deixamos claro para a China, depois de anos assediando nossas indústrias e roubando nossa propriedade intelectual, que o roubo de empregos e riqueza nos EUA terminou”, disse o presidente em seu discurso sobre o Estado da União.

Em seu discurso, Trump prometeu ainda enfrentar epidemias, como a dos opioides e de HIV.

“Meu orçamento pedirá aos democratas e republicanos que aloquem os recursos necessários para eliminar a epidemia de HIV nos Estados Unidos em 10 anos, e juntos derrotaremos a AIDS na América e além”, disse ele, que no ano passado propôs reduzir o orçamento de prevenção desta doença.

 

Fonte :Istoé

 





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo