Defensivos Agrícolas: Anvisa admite agrotóxico em ultraprocessados mas afirma não haver malefícios ao consumidor

  • 07/06/2021
  • 0
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Defensivos Agrícolas

Discussão foi levantada a partir da cartilha do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, que mostra agrotóxicos em 27 alimentos. Confira mais detalhes:

Resquícios de defensivos agrícolas podem realmente estar presentes em alimentos ultraprocessados. É o que admite a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em nota à Globo Rural. O órgão se pronunciou a respeito da cartilha lançada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), que aponta a presença de agrotóxicos em 27 alimentos ultraprocessados.

"É razoável e necessário presumir que resíduos de agrotóxicos eventualmente presentes nos alimentos in natura também estejam remanescentes nos alimentos processados e ultraprocessados, visto que os alimentos in natura se constituem matérias-primas de diversos produtos alimentícios. Contudo, geralmente, o processamento leva a uma diminuição da concentração dos resíduos de agrotóxicos”, informa a Anvisa na nota.

Dos 27 produtos avaliados pelo Idec, entre eles biscoitos, salgadinhos e cereais matinais, os critérios de seleção foram produtos de alta aderência pela população consumidora e que contivessem soja, milho, trigo ou açúcar como matéria-prima. Em 13 deles, foi detectada a presença do glifosato.

A Anvisa diz que os fabricantes de alimentos processados são os responsáveis por controlar “a qualidade da matéria-prima a ser empregada no processo produtivo” e para isso sugere haver rastreabilidade e os Limites Máximos de Resíduos (LMRs) estabelecidos pela instituição.

No entanto, a falta de LMRs específicos para os produtos ultraprocessados é uma das críticas do Idec. Quanto a isso, a Anvisa informa realizar uma avaliação do risco aos consumidores com uma “abordagem conservadora” por meio do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA), cujo último relatório se refere aos anos 2017/2018.

“No caso da soja, por exemplo, são incluídos no cálculo o consumo de 44 tipos de alimento à base de soja, tais como suco de soja, tofu, pão de soja, molho shoyu, etc. Em relação ao trigo, são considerados 659 diferentes tipos de alimentos que levam o produto in natura em sua composição”, relata outro trecho do documento.

Em outro trecho, a Anvisa se dirige especificamente aos produtos à base de soja e trigo: “Desse modo, a autorização de LMR de um determinado defensivo agrícola para trigo ou soja, por exemplo, oferece segurança no consumo do alimento in natura e para os demais produtos contendo resíduos compatíveis com o LMR durante todos os dias da vida.”

A instituição informa ainda que alguns produtos de elevado consumo e com determinado nível de processamento já foram inseridos na listagem de alimentos monitorados no PARA, como fubá de milho, farinha de mandioca, farinha de trigo, farinha de aveia e bebida de soja.

“A intenção é que aos poucos possam ser incluídos novos produtos”, admite a Anvisa, mas pondera que para esta inclusão se faz necessário um estudo preliminar sobre comportamentos de consumo, “a fim de verificar quais produtos melhor representam o consumo do alimento pela população brasileira”. A Anvisa não informou se este tipo de estudo tem previsão de ser realizado.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

 

Fonte: Globo Rural

 

Veja Mais
Melhoramento Genético: Nordeste do Brasil abriga valiosos centros de melhoramento de cana
‘Alta no preço do leite não reflete rentabilidade para o produtor’
Defensivos Agrícolas: 2 projetos que estão na Câmara precisam de harmonia, diz CNA
Agronegócio Brasileiro: Colheitômetro mede em tempo real produção e valor da agricultura do país
Morte Fria! Porque a geada é tão temida pelos produtores rurais?

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo