Agronegócio Brasileiro: setor alimenta mais de 800 milhões de pessoas no mundo

  • 08/03/2021
  • 1
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Agronegócio Brasileiro

Estudo da Embrapa indica também que a contribuição brasileira para o abastecimento mundial deve aumentar ainda mais nos próximos anos. Confira:

A participação do Brasil no mercado mundial de alimentos deu um salto, em dez anos, de US$ 20,6 bilhões para US$ 100 bilhões, com destaque para carne, soja, milho, algodão e produtos florestais. Além disso, o agronegócio brasileiro dá conta de alimentar cerca de 800 milhões de pessoas no mundo.

Esses dados fazem parte de estudo da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa (Sire), intitulado “O agro brasileiro alimenta 800 milhões de pessoas”, divulgado nesta quinta-feira, 4.

De autoria dos pesquisadores Elísio Contini e Adalberto Aragão, da Sire, o estudo indica ainda que a contribuição do Brasil para o abastecimento mundial deverá aumentar ainda mais nos próximos anos. Somente entre 2011 para 2020, por exemplo, a participação do país na produção mundial de grãos, por exemplo, cresceu de 6% para 8%.

Contini e Aragão concluíram ainda que, em 2020, o país forneceu alimentos para 772,6 milhões de pessoas, sendo 212,2 milhões da população brasileira e 560,36 milhões de outros países. Os cálculos foram feitos tendo como base exportação de grãos e da carne bovina convertida em grãos.

O pesquisador Contini cita, conforme nota da Embrapa, ser “importante conhecer a contribuição do agro brasileiro na disponibilidade de alimentos para a sociedade brasileira e para o mundo”. E continua: “Em termos de pessoas alimentadas, em manifestações de autoridades e trabalhos técnicos, os números variavam de 1 a 1,5 bilhão de pessoas. Decidimos checar esses números, partindo da produção de grãos e oleaginosas do Brasil em relação à mundial”.

Para chegar aos números citados acima, o estudo adotou um método que considera a produção de grãos e oleaginosas – alimentos básicos de amplas populações no mundo e também considerados básicos para a produção de proteína animal. “A hipótese é de que grãos e oleaginosas vêm sendo a base da alimentação humana, para o consumo direto das pessoas, alimentos processados ou como insumo para ração para a produção das principais carnes”, afirmam os autores do trabalho, que adotaram para a execução do cálculo a classificação de “alimentos” utilizada pelo Banco Mundial para a elaboração do Food Price Index.

O indexador Food Price Index considera os seguintes cereais: arroz, trigo, milho e cevada; óleos vegetais e tortas: soja, óleo de soja, torta de soja, óleo de dendê, de coco e de amendoim; além de outros alimentos: açúcar, banana, carne de boi, de aves e laranja.

Além disso, para chegar à quantidade de pessoas que o Brasil alimenta no mundo, dois cálculos foram feitos. O primeiro, baseado na produção física de grãos e o segundo agregando a essa produção o seu respectivo valor monetário, a partir de preços internacionais. O segundo cálculo diz respeito à conversão da carne bovina exportada. “Como a carne bovina brasileira exportada é produzida a pasto, convertemos esta exportação para equivalente grãos e quantificamos quantas pessoas são alimentadas por esta carne”, explica Contini, acrescentando que esta segunda alternativa aproxima-se mais da resposta esperada.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

 

Fonte: Canal Rural

Veja Mais
Melhoramento Genético: Nordeste do Brasil abriga valiosos centros de melhoramento de cana
‘Alta no preço do leite não reflete rentabilidade para o produtor’
Defensivos Agrícolas: 2 projetos que estão na Câmara precisam de harmonia, diz CNA
Agronegócio Brasileiro: Colheitômetro mede em tempo real produção e valor da agricultura do país
Morte Fria! Porque a geada é tão temida pelos produtores rurais?

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo