Destaques da Economia Brasileira (de 10/02 a 14/02/20)

  • 14/02/2020
  • 0
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Economia Brasileira

Nesta semana a economia brasileira apresentou dados referentes ao crescimento do setor de serviços, mas também divulgou que o setor de varejo ficou abaixo do esperado em dezembro/19, mês que historicamente costuma ser o melhor do ano para as vendas. No mercado externo, o Coronavírus segue afetando a economia mundial. Confira os destaques:

Economia Brasileira

Após 4 anos, setor de serviços volta a crescer: Segundo dados do IBGE, o setor de serviços fechou 2019 com alta acumulada de 1% após quatro anos seguidos sem crescimento. O aumento foi puxado principalmente pelo segmento de informação e comunicação, que registrou alta de 3,3% no ano. Os serviços de locação de automóveis também se destacaram. O único segmento que registrou queda foi o de transportes, que caiu 0,4% – afetado principalmente pela baixa na produção industrial, que influenciou a demanda por transporte rodoviário de cargas.

Varejo fica abaixo das expectativas em dezembro: O desempenho do varejo contrariou as expectativas do mercado e interrompeu sete meses seguidos positivos com queda de 0,1% entre novembro e dezembro, segundo dados do IBGE. No ano, o setor avançou 1,8%. O desempenho negativo no mês das vendas de Natal surpreendeu analistas consultados pela Bloomberg, que previam crescimento de 0,2% para dezembro e projetavam alta de 3,3% para o varejo em 2019. Segundo análise do IBGE, a queda registrada em dezembro reflete a retração nas vendas nos supermercados — que por sua vez foi puxada pela forte inflação do mercado de carnes.

Grandes bancos têm lucro recorde em 2019: Apesar de um desempenho frustrante na economia brasileira em 2019 e do aumento na concorrência no setor, os grandes bancos puderam comemorar mais um lucro recorde no ano passado. Os ganhos líquidos combinados de Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Bradesco e Santander cresceu 18,4%, para R$ 86,6 bilhões. Trata-se do maior valor nominal da história. A retomada expressiva da demanda por crédito, o foco em linhas mais rentáveis e o ajuste nas despesas operacionais são apontados como os principais fatores para o crescimento expressivo, que se repetiu pelo terceiro ano consecutivo. Para 2020, por conta do fim do ciclo de cortes na taxa Selic, das novas regras do cheque especial e de uma carga tributária mais pesada, as expectativas de lucro são mais moderadas.

Brasil se torna maior mercado da Heineken: O Brasil já é o maior mercado da marca de cerveja Heineken, segundo informações da própria empresa. Globalmente, o volume de vendas da fabricante de bebidas avançou 4,1% no quarto trimestre, com crescimento mais expressivo no Brasil, Vietnã e Camboja. Considerada apenas a marca Heineken, o crescimento nas vendas acumulou alta de 8,3% em 2019, o melhor resultado em uma década. A empresa também destacou o "forte crescimento", sem falar em números, das vendas da marca Amstel no Brasil e em países como México, África do Sul e Reino Unido.

Agronegócio e Balança Comercial

A Secex informou por meio do seu relatório semanal da balança comercial de que o agronegócio destinou ao mercado externo na 1ª semana de fevereiro um total de:

  • 759,2 mil sacas de café em grãos (aumento de 36% comparada com a semana anterior);
  • 992,8 mil toneladas de soja em grãos (alta de 67,58% ante a semana anterior);
  • 255,7 toneladas de açúcar em bruto (queda de 20,24% ante a semana anterior);
  • 141,4 mil toneladas de milho em grãos (queda de 58,31% comparada com a semana anterior).

Na primeira semana de fevereiro de 2020, com 5 dias úteis, a balança comercial registrou superávit de US$ 1,160 bilhão e corrente de comércio de US$ 8,151 bilhões, resultados de exportações no valor de US$ 4,656 bilhões e importações de US$ 3,495 bilhões. No ano, as exportações somam US$ 19,096 bilhões e as importações, US$ 19,670 bilhões, com saldo negativo de US$ 575 milhões e corrente de comércio de 38,766 bilhões.

Houve crescimento de 18,3%, em razão do aumento nas vendas das três categorias de produtos: semimanufaturados (+32,8%, de US$ 97,7 milhões para US$ 129,7 milhões, por conta, principalmente, de semimanufaturados de ferro/aço, ferro-ligas, ferro fundido, celulose, ouro em formas semimanufaturadas); básicos (+19,4%, de US$ 397,0 milhões para US$ 473,8 milhões, por conta, principalmente, de petróleo em bruto, carnes de frango, bovina e suína, minério de ferro, algodão em bruto) e manufaturados (+12,1%, de US$ 292,2 milhões para US$ 327,6 milhões, por conta de óleos combustíveis, tubos flexíveis de ferro ou aço, centrifugadores e aparelhos para filtrar ou depurar, gasolina, bombas, compressores e ventiladores).

Economia Mundial

Novos casos do Coronavírus na China derrubam a bolsa de valores em todo o mundo: A China diagnosticou novos 14 mil casos do Coronavírus, problema que vem matando muitas pessoas no mundo, principalmente no país Asiático onde a doença teve origem.

Embora a essa semana a bolsa de valores tenha operado com mais otimismo, com a sensação de que o pior momento da epidemia já havia sido superado, dando aquele alívio à economia mundial. Nesta quinta-feira (13/02) o mercado acionário mundial foi novamente impactado pelo medo da desaceleração mundial, após a divulgação de novos dados sobre o número de pessoas infectadas com o Coronavírus.

Os índices brasileiros em São Paulo fecharam em queda, acompanhados de outros polos no mundo, como Frankfurt, Paris, Madri e Londres. Em Wall Street, Nasdaq, S&P e Dow Jones também fecharam em queda.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

Veja Mais
Defensivos Agrícolas: STF suspende portaria que muda regra para registro de agrotóxicos
Destaques da Economia Brasileira (30/03 a 03/04): PIB Brasil tem risco de recuar em 2020. No mundo, COVID-19 já passa de 1 milhão de casos
Agricultura de Precisão: viticultura de precisão pode maximizar o potencial produtivo do vinho
Fertilizante Agrícola: Relação de troca entre fertilizantes e soja volta a melhorar
Economia: Dólar avança e se aproxima de R$ 5,25 com sinais do impacto da crise de saúde

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo