Sustentabilidade no Agronegócio sob “Ponto de Vista” de representante da Fundação Espaço Eco

  • 13/02/2020
  • 2
  • Categoria(s): Notí­cias Populares |

sustentabilidade no agro

Um dos maiores desafios dos últimos anos e quiçá da próxima década está relacionado ao uso dos recursos naturais, sobretudo,  solo e água. Levando em consideração todos os impactos ambientais já causados por uma demanda cada vez maior por terras cultiváveis no Brasil e ao redor do mundo, que possa entrar de uma vez por todas na cabeça da humanidade a urgente necessidade de criar mecanismos que envolvam uma cultura de sustentabilidade na agricultura moderna, além de boas práticas agrícolas, de forma a atender os altos níveis de produção sem causar mais devastação ambiental e desequilíbrio ecológico, sem perder o viés sustentável.

É por isso que AF News elegeu para o tema desta semana, em nossa entrevista “Ponto de Vista”, um assunto que é globalmente  recorrente e amplamente debatido em qualquer esfera de políticas públicas ou iniciativas privadas: a Sustentabilidade no Agronegócio.

Convidamos para responder a uma série de questões relacionadas ao tema a “Espaço Eco”, uma fundação empresarial – instituída e mantida pela BASF – qualificada como DSCIP, o que a valida trabalhar com projetos de interesse público. Como  porta-voz da Fundação Espaço Eco, o consultor de Gestão para Sustentabilidade, Tiago Egydio, é o entrevistado da vez no “Ponto de Vista” desta edição. Boa leitura!

AF News - O desconhecimento ainda é o maior inimigo do meio ambiente para quem está inserido no contexto do agronegócio?

Fundação Espaço Eco -  O desconhecimento é sim um dos pontos que afetam a questão ambiental dentro do agronegócio. Quando falamos de Brasil, o agronegócio tem uma grande importância econômica, mas não é só isso, boa parte da conservação ambiental é realizada por florestas que estão em áreas privadas. Percebemos então que o agronegócio tem esses dois papeis fundamentais que são: a preservação ambiental e a geração de riquezas econômicas. O Brasil tem 65% da área do seu território coberta por vegetação nativa, e deste número, metade está dentro de reservas índigenas e áreas de proteção ambiental, e a outra metade está em propriedades privadas. Temos que procurar comunicar as boas iniciativas de produção e conservação ambiental desenvolvidas pelos agricultores, afinal eles são protagonistas.

AF News -  O uso racional dos recursos naturais pode potencializar a produção sem causar impacto ambiental e sem perder o viés sustentável?

Fundação Espaço Eco - Sim, acreditamos que pode. Existem diferentes métodos para o desenvolvimento da agricultura, seja ela em larga escala, ou aquela em pequena escala, a agricultura familiar. O agricultor precisa ter retorno financeiro com sua atividade para garantir a perenidade do seu negócio, e para conseguir esse objetivo ele precisa olhar para o seu capital natural que é essencial para a produção agrícola: o solo e a água. O produtor agrícola que não olha esses dois componentes, no devido contexto da sustentabilidade, perderá dinheiro no final do dia. Por conta disso, hoje, os produtores rurais estão buscando tecnologias aliadas à sustentabilidade, que maximizam a conservação do solo e da água, e estes, como consequência, possuem sucesso tanto na produção como na conservação ambiental.   

AF News -  Como o produtor rural pode compatibilizar práticas conservacionistas de manejo de solo e irrigação sem perder o foco do rendimento da lavoura?

Fundação Espaço Eco - Ninguém faz agricultura sem solo e sem água. O produtor está cada vez mais atento a isso, buscando realizar a gestão destes dois ativos. Quando falamos do solo, uma prática bastante difundida hoje em dia é o plantio em curvas de nível ou de desnível, no qual se conduz o caminho da água, minimizando os impactos de enxurradas e do escoamento superficial da água, que muitas vezes resultam em erosão. Outra prática importante é o plantio direto, onde o agricultor faz sucessivas colheitas em um mesmo local sem promover o revolvimento do solo. Nesta prática, os agricultores deixam a palha e cobertura vegetal da produção agrícola anterior, que resultará em uma maior quantidade de matéria orgânica e na melhora da estrutura e na microbiota do solo. Quando falamos da água, hoje, os sistemas de irrigação utilizam micro aspersores que emanam pequenas gotículas de água, que são tão pequenas e leves, que não impactam o solo. E a irrigação só é feita de forma complementar, ou seja, se há chuva e umidade no solo não é utilizado o sistema de irrigação.

AF News -  O mundo assiste pelos noticiários, constantemente, de tempos em tempos, incêndios ambientais de grandes proporções global, como os ocorridos nas Florestas da Amazônia e Austrália. Quais soluções macro e urgentes a Fundação Espaço Eco propõem para minimizar os impactos já ocasionados por catástrofes ambientais assim?

Fundação Espaço Eco - Primeiro, precisamos entender as diferenças entre os dois tipos de florestas para então analisar possíveis soluções específicas para cada uma das regiões. Em 2019, um fator foi comum em ambas regiões que ajudou a potencializar os incêndios, um ano bastante seco, acima do normal. Aqui, na Fundação Espaço ECO, temos diversos estudos que mostram o protagonismo do produtor rural, seja ele de grande ou menor escala, para a proteção ambiental, uma vez que o negócio dele depende do ecossistema para sobreviver. Cerca de 75% dos agricultores fazem sua lição de casa, possuem suas áreas de preservação e reserva conforme a lei, e estão preocupados com as questões ambientais. Precisamos que este número cresça cada dia mais, para que o que vimos neste ano em relação aos incêndios florestais não se repita. O estado de São Paulo, por exemplo, segundo os últimos levantamentos do total de cobertura florestal, obteve aumento de sua área de vegetação nativa e houve aumento de produção agrícola. Isso é um dado importante, que mostra como a difusão do tema e do entendimento da população, pode resultar em impactos positivos para a preservação ambiental.

AF News  - Neste sentido global, do Ponto de Vista da Fundação, que rumo o agronegócio deve tomar para atender a demanda em um mundo cuja população é cada vez mais crescente, sem causar a degradação ambiental no planeta?

Fundação Espaço Eco - Hoje, a grande parte dos agricultores que tem sucesso é aquela que investe na produção agrícola e na sustentabilidade. A gestão da propriedade rural orientada à sustentabilidade trará maior produção agrícola acompanhada da conservação dos recursos naturais. Mas, para responder sua pergunta é importante que não olhemos para a produção agrícola de maneira isolada. Se não a grande parte dos alimentos produzidos não chega na mesa das pessoas devido ao desperdício na cadeia de suprimento, incluindo os consumidores. Assim, entendemos que há necessidade de melhorias na prática agrícola para suportar um aumento na demanda de alimentos, mas também entendemos que temos que melhorar desde a logística da distribuição até a comercialização e consumo dos alimentos. Agora do ponto de vista da propriedade agrícola, se focarmos no Brasil, por exemplo, já se é conhecido que se melhorarmos o manejo de nossos pastos é possível aumentar nossa produção de forma sustentável. E, desta mesma forma, se expandirmos a produção agrícola de grãos para onde existem pastagens degradadas aumentaremos a produção agrícola sem derrubar um hectare de floresta.

AF News -  A cultura da sustentabilidade nas lavouras é uma tendência que deve germinar nas gerações futuras sem muito esforço, ou ainda é preciso continuar regando essa semente no presente?

Fundação Espaço Eco - Com certeza é preciso continuar a trabalhar muito nesta área. A sustentabilidade é um tema que é atual e continuará sendo necessário por muitos anos, não só no agronegócio, mas também em todos os outros setores produtivos. Aqui na Fundação Espaço ECO, entendemos que o olhar da sustentabilidade deve ser feito de forma sistêmica, a partir do conceito de Avaliação de Ciclo de Vida de produtos e processos produtivos, analisando todos os aspectos desde a extração até fim de vida dos produtos. Assim, teremos a oportunidade de observar que os diferentes setores produtivos estão conectados. Por exemplo, o setor de moda e vestuário está relacionado ao agronegócio, pois, uma importante matéria-prima deste setor, o algodão, vem do agronegócio. Ou, o setor de combustível, que atualmente vem recebendo maior contribuição de elementos do agronegócio para a produção de biocombustível. Tendo esta percepção sistêmica passaremos a olhar a sustentabilidade no contexto da cadeia de valor. Neste sentido observamos que é necessário entender não somente a produção agrícola, como também a produção dos insumos, a logística do transporte dos alimentos, o consumo final e o descarte do alimento. Portanto, quando olhamos de forma sistêmica essa questão da sustentabilidade na agricultura percebemos que todos têm uma lição de casa para fazer. O produtor rural, que precisa buscar mais tecnologia para ter mais efetividade nas lavouras e preservar o meio ambiente, e as pessoas no meio urbano ao comprar alimentos de forma consciente, consumir apenas aquilo que precisa e diminuir o desperdício.

AF News - Cientistas ambientais avaliaram por meio de estudos que, a quantidade de carbono no solo é mais que o dobro da quantidade de carbono encontrada nas árvores e na biomassa terrestre. Assim como estima-se que cerca de um terço dos solos do mundo esteja degradado, limitando a produção agrícola e adicionando quase 500 bilhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Existem maneiras de fazer a  recuperação de estoques de carbono e de aumentar a fertilidade de solos?

Fundação Espaço Eco  - Sim, existe. Hoje há muitos agricultores olhando para esse tema com muito cuidado. Primeiro, conservando as áreas de floresta, mantendo essa biomassa acima do solo, que é composta por organismos vivos (árvores, animais, toda a folhagem em decomposição). Mas no contexto da agricultura ressalto a importância das boas práticas de conservação do solo como mecanismo para o aumento do estoque de carbono no solo. O plantio direto, citado anteriormente, é um exemplo. A manutenção da cobertura vegetal da cultura anterior que foi plantada aumentará a quantidade de matéria orgânica no solo, e essa é composta basicamente de carbono e nitrogênio. Até mesmo um bom manejo dos pastos pode resultar no aumento da biomassa das pastagens, e isto também significa aumento de carbono do solo. Além disso, a combinação com componentes biológicos e maior rotatividade de culturas agrícolas, que melhoram a interação entre plantas e micro-organismos do solo, resultam em maior quantidade de carbono. Esses são alguns caminhos que as tecnologias agrícolas estão achando para melhorar a conservação do solo e aumentar a quantidade de carbono que se tem na área agrícola.

AF News - A inteligência artificial no Agro além da otimização de recursos, precisão nas operações e mobilidade no acesso e gerenciamento do volume de dados, trouxe um jeito novo de pensar soluções. O que se pode esperar das inovações no campo com agricultura 4.0 em detrimento de questões que envolvam a sustentabilidade?

Fundação Espaço Eco - As inovações tecnológicas estão cada vez mais presentes no campo e auxiliando os agricultores nas mais variadas funções o que garante maior produtividade e sustentabilidade. Hoje muitos produtores possuem estações climáticas que preveem chuvas e auxiliam na quantidade de água que devem ser usadas para irrigar o solo, tudo isso comandado por aplicativo de celular. Existem tratores que são pilotados por inteligência artificial, que usam gps para identificar a área plantada e passam o arado somente onde é necessário, com uma margem de erro de centímetros. Além disso, eles fazem escaneamento de solo para identificar plantas daninhas, o que permite o uso de defensivos agrícolas somente em locais onde realmente é necessário. Com essas e outras tecnologias se tem maior eficácia, reduzindo custos e aumentando a preservação ambiental.

AF News - Sob o "Ponto de Vista" da Fundação Espaço Eco, o que as empresas ou produtores rurais precisam ter em mente para que a Sustentabilidade, especialmente na agricultura, não seja apenas vista como parte de um discurso saturado?

Fundação Espaço Eco - Não existe um discurso saturado sobre o tema de sustentabilidade. Existe, sim, uma maior demanda, um olhar cada vez mais cauteloso e necessário para quem quer ter sucesso nos negócios tem que estar focado nesse ponto. O mercado está, cada vez mais, exigindo boas práticas agrícolas do ponto de vista de sustentabilidade, então, se o produtor agrícola não olhar para isso vai ficar fora do mercado. E quando falamos em sustentabilidade, vale lembrar que estão falando dos pilares ambiental, social e econômico.  Então, se o agricultor consegue olhar para essa parte de conservação ambiental, conservação de solo, conservação de água, se ele faz a gestão correta dos insumos, usa tecnologia para ganhar eficiência, investe em qualificação da mão de obra e se preocupa com a comunidade local, vai estar aderente aos principais conceitos de sustentabilidade e ter maior aceitação pública e do mercado. Tudo isso junto é fundamental para o produtor agrícola ter sucesso e seguir no negócio.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

Veja Mais
Impactos do Coronavírus: Dólar sobe para quase R$ 5,30 após dados negativos na Europa e Payroll nos EUA
Economia: Dólar cai em linha com o exterior
Economia: Dólar abre em alta e supera R$5,20 com cautela generalizada
Coronavírus: Alta na demanda faz os preços subirem até 70% no varejo de alimentos
Trigo Brasil: Abitrigo se manifesta sobre as restrições de rodovias e reforça a importância da produção de alimentos neste momento de pandemia

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo