Arroz Balanço Anual 2019

  • 19/12/2019
  • 3
  • Categoria(s): Mercado de Arroz |

Balanço Anual do Arroz

Durante boa parte de 2019 a cotação do arroz no mercado brasileiro esteve mais alta do que os preços praticados no ano anterior. A queda na oferta do produto manteve os preços em melhores patamares e alta do dólar também motivou os indicadores, tendo em vista que a importação do grão acabou ficando mais cara.

Cotação do Arroz

A média mensal do preço do arroz em casca apresentou saldo positivo em 10 meses do ano comparado com 2018. Somente em agosto e setembro é que os indicadores recuaram, resultando em uma média anual de R$ 43,50/saca com aumento de 9,39% comparado ao ano anterior.

Por outro lado, no mercado externo as cotações apresentaram variações mistas, onde durante 6 meses o preço do arroz fechou em queda e no demais, apresentou avanço nos índices quando comparado com o ano passado. A média anual de preços ficou 1,26% acima do que o praticado em 2018.

No Brasil os preços só se mantiveram firmes na maior parte do tempo, em função do aumento na cotação do dólar cuja média anual ficou em R$ 3,95 distanciando o interesse dos compradores no arroz importado e aumentando a demanda por arroz no mercado doméstico.

Para os produtores de arroz este cenário ainda não é o ideal, tendo em vista que desde 2017 os preços operam abaixo do que o esperado.

Em 2016 para se der uma ideia, a média anual da cotação do arroz foi de R$ 45,94/saca. Em 2017 esse valor caiu para R$ 40,58/saca em 2018 os índices despencaram ainda mais ficando com a média anual de R$ 39,81/saca e em 2019, apesar da recuperação, a média ainda está longe de superar o preço alcançado em 2016.

GRÁFICOS DO PREÇO DO ARROZ EM CASCA EM 2019 E HISTÓRICOS

Oferta e Demanda do Arroz

Por conta da queda nos preços, os orizicultores perderam parte do seu interesse na cultura. Por esta razão é que por dois anos consecutivos a produção de arroz sofreu redução.

Na safra de 2017/18 a produção brasileira de arroz foi de 12,064 milhões de toneladas e com a desvalorização do produto, os produtores optaram por diminuir as áreas de cultivo no ano seguinte e a safra de 2018/19 resultou num volume de apenas 10,449 milhões de toneladas.

A projeção para a safra de arroz 2019/20 não apresenta muitas variações e de acordo com a Conab a estimativa é de que se colher um volume em torno de 10,471 milhões de toneladas do cereal, um aumento de somente 0,21% comparado com a safra anterior. No entanto, a diminuição na área de plantio foi de 1,1%.

No final do ano, o plantio de arroz quase foi afetado por atrasos, em função do grande volume de chuvas nas lavouras destinadas a cultura no Rio Grande do Sul. Houveram vários casos de infestação de doenças nas plantas, visto que por conta do grande teor de umidade a cultura acabou ficando mais susceptível a doenças, mas de acordo com a Emater-RS neste momento os tratos culturais estão dentro da normalidade e o desenvolvimento da cultura também, não prejudicando o resultado da produção nacional.

Se caso o consumo interno se mantenha o mesmo que foi registrado no último ano, os estoques finais chegarão ao final do ano em 393 mil toneladas, uma redução de 24,59% comparado ao ano de 2018 e queda de 32,68% ante a média dos últimos quatro anos.

HISTÓRICO DA OFERTA E DEMANDA DO ARROZ

ESTIMATIVA DA PRODUTIVADE DO ARROZ SAFRA 2019/20

Com relação ao arroz importado, este ano foram contabilizados entre o período de janeiro a outubro o volume de 684,6 mil toneladas. Sendo os principais países que correspondem a este volume: Paraguai (62%), Argentina (18%), Uruguai (17%) e Itália (2,4%).

IMPORTAÇÃO DO ARROZ NO BRASIL

Em âmbito mundial a produção de arroz estimada em dezembro pelo USDA para a safra 2019/20 será de 498,4 milhões de toneladas, com redução de somente 0,15% ante a safra anterior. A oferta total será de 671,63 milhões de tons, com alta de 1,47%.

A previsão do consumo mundial de arroz está agora em 493,83 milhões de toneladas, com aumento de 1,06% comparado ao ano de 2018 e resultando em um estoque final de 177,80 milhões de toneladas, alta de 2,63%.

Projeções para 2020

Conforme já apresentado, a oferta mundial de arroz para 2019/20 se manteve praticamente em mesmos patamares que os resultados da safra de 2018/19, no entanto, por conta do aumento dos estoques finais no último ano, existe uma disponibilidade maior de arroz no mercado mundial.

No Brasil, os produtores deverão se mostrar restritos a ofertas de compra menos vantajosas, tendo em vista que o aumento do dólar não dificulta apenas a importação de arroz dos países vizinhos, como também encarece os custos de produção do cereal, já que os insumos agrícolas são dolarizados.

Essa alta no custo de produção poderá afetar brevemente o mercado com um novo repasse de aumento, justamente porque o trigo (que acarreta aumento nas massas e derivados) também tem se mostrado com valores maiores por conta da pouca disponibilidade.

A redução na produção de arroz também é um fator que irá limitar bastante a queda nos preços. Porém, vale ressaltar que quando os produtos alimentícios sofrem aumento nas prateleiras, a tendência é que o consumo reduza. É nessa parte que o mercado precisa estar atento, para não ficar com grandes volumes do produto em estoque.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

Veja Mais
Mercado do Arroz: Preço atingiu alta de 130% no ano, chegando a média mensal de R$ 105/saca
Arroz – Balanço Semanal: Plantio de arroz se encontra em fase de término no Rio Grande do Sul
Arroz - Balanço Mensal: Novembro finaliza com 97% da safra de arroz 20/21 plantada no Rio Grande do Sul
Arroz – Balanço Semanal: Distanciamento das beneficiadoras do mercado causa recuo nos preços do arroz
Arroz – Balanço Semanal: RS atinge 85% do previsto para semeadura de arroz

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo