Agrotóxicos nos alimentos: qual é o limite de consumo?

  • 28/10/2019
  • 2
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Defensivos Agrícolas

Os agrotóxicos, também chamados de defensivos agrícolas, são grandes aliados à produção de alimentos no campo, evitando a incidência de pragas e doenças que possam causar danos às lavouras. Mas a presença de agrotóxicos nos alimentos, ainda causa grande dúvida para a população, se essas substâncias podem ou não serem prejudiciais à saúde humana.

Antes de serem aplicados no campo, os agrotóxicos passam por um longo período de aprovação, regulamentação e ensaios de pesquisa, a fim de ver a sua efetividade no campo, se o produto realmente vai controlar determinada praga (plantas daninhas, insetos, fungos) ou doença, sem causar impacto negativo para a cultura principal, por exemplo, a soja, o milho e também para a saúde humana e animal.

Além desses cuidados e exigências, os defensivos agrícolas passam por um período de carência após a sua aplicação, que está orientada na bula do agrotóxico. O período de carência se refere ao número de dias que o produtor deve esperar após a aplicação para fazer a colheita. De acordo com a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), esse prazo ajuda a garantir que no momento da colheita, uso ou consumo do alimento, o LMR (Limite Máximo de Resíduos) esteja dentro do aceitável no que diz respeito aos níveis de resíduos remanescentes do defensivo. Permitindo o seu consumo com segurança e sem causar danos à saúde.

Termos utilizados para determinar o limite de agrotóxicos nos alimentos

Como já mencionado, o Limite Máximo de Resíduo (LMR) é um dos termos criados pela ANVISA que busca encontrar os limites de segurança dos agrotóxicos nos alimentos, por meio de estudos para cada tipo de agrotóxico. Esses limites são estabelecidos com base na quantidade de resíduos que podem ser consumidos por uma pessoa sem representar qualquer risco para a saúde dela.

Outro índice, o da Ingestão Diária Aceitável (IDA), se refere à concentração máxima de resíduo de agrotóxico que pode ser ingerida por dia, por uma pessoa, durante toda a vida, de modo a não causar danos à saúde. Esse cálculo é obtido por meio de estudos toxicológicos que são submetidos à ANVISA na ocasião de registro do defensivo. Essa dose é dividida centenas de vezes para se ter a segurança de que, de fato, é um limite aceitável e não prejudicial à saúde.

O PARA (Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos), também criado pela ANVISA, ajuda a avalizar os níveis de agrotóxicos nos alimentos que chegam à mesa do consumidor. Esse programa é coordenado em conjunto com outros órgãos estaduais e municipais de saúde pública. A análise é feita a partir de amostras coletadas em pontos de venda pelas vigilâncias sanitárias dos estados e municípios, que as enviam para laboratórios especializados.

O Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes em Produtos de Origem Vegetal (PNCRC/Vegetal), iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) , juntamente com o PARA são responsáveis pela fiscalização do cumprimento das boas práticas de aplicação de defensivos agrícolas no campo.

Como evitar intoxicação por agrotóxicos?

Apesar de todos os cuidados adotados na regulamentação dos defensivos agrícolas para uso no campo, o período de carência que deve ser respeitado para que se faça a colheita e consumo dos alimentos e boas práticas agrícolas. O consumidor também pode fazer a sua parte, para que sejam eliminados de fato, todos os riscos de intoxicação causados pelos agrotóxicos.

Independentemente da presença ou não de resíduos de defensivos agrícolas, é importante fazer a higienização dos alimentos. Isso porque a lavagem reduz a chance de haver contaminação por microrganismos causadores de doenças. Os consumidores estão muito mais expostos aos riscos causados por esse tipo de contaminação do que pela eventual presença de resíduos de agrotóxicos nos alimentos.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

 

Texto baseado no conteúdo “Agrotóxicos nos alimentos: devo me preocupar?” veiculado no site: Saber Horti Fruti.

 

Veja Mais
Acordo inicial entre Estados Unidos e China deve afetar exportações do agronegócio e da indústria no RS
Melhoramento Genético: Qual é a sua importância para a produção de alimentos?
Destaques da Economia (de 13 a 17/01)
Defensivos Agrícolas: Como evitar a deriva na aplicação de agrotóxicos?
Fertilizantes: Petrobrás irá paralisar fabricação de fertilizantes no Paraná

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo