Pra que servem os defensivos agrícolas (Agrotóxicos)?

  • 14/10/2019
  • 3
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Defensivos Agrícolas

A agricultura é uma atividade que sofre com muitos fatores externos capazes de acarretar perdas na produtividade das lavouras, como condições climáticas desfavoráveis, infestação de doenças, plantas daninhas e insetos que, dependendo da severidade do ataque, podem causar até perda total da produção em determinada cultura. Para este último fator, os defensivos agrícolas são grandes aliados que podem controlar a incidência de pragas, sendo elas plantas invasoras, insetos ou fungos, que irão causar danos à cultura. É sobre os defensivos agrícolas que vamos falar.

Também conhecidos como agrotóxicos, os defensivos agrícolas, como o próprio nome já diz, funcionam como uma proteção/defesa do ataque de insetos, fungos, plantas invasoras e outras formas de vida animal ou vegetal que acarretem danos a saúde pública ou as culturas agrícolas. Popularmente existem três tipos bem definidos de defensivos: Os herbicidas (controle de plantas daninhas), inseticidas (controle de insetos) e fungicidas (que controlam os fungos). E, ainda são utilizados os acaricidas e nematicidas, para o controle de ácaros e nematoides.

Os insetos, muitas vezes são aliados da agricultura, como é o caso das abelhas, que são seres que polinizam mais da metade dos nossos alimentos. Mas alguns são capazes de causar enorme prejuízo nas lavouras, por conta de se alimentarem das plantas, comprometendo o seu potencial produtivo e também, sendo vetores de doenças que podem se dispersar rapidamente, causando um grande impacto negativo na produtividade.

Quando em pequena incidência, o que é comum acontecer, o ataque das pragas fica abaixo do nível de dano econômico (NDE), que é a densidade populacional de uma praga capaz de causar um prejuízo de igual valor ao seu custo de controle. Mas o maior problema é quando esta, por sua vez, é capaz de ultrapassar esse fator de dano. Este é o critério mais utilizado para a tomada de decisão.

No entanto, o produtor, não pode esperar que primeiro surja uma praga na lavoura, para que então ele realize o seu controle, é por isso que os defensivos agrícolas são aplicados desde o início do plantio de uma cultura, ou muitas vezes antes, para que justamente proteja a lavoura da incidência das pragas, visto que muitos insetos principalmente, podem se reproduzir rapidamente, antes mesmo do inseticida fazer efeito, quando ele for aplicado já na existência dessa praga. Vale ressaltar, que os defensivos agrícolas são seletivos, ou seja, eles só irão realizar o controle da praga que está afetando a lavoura, é por esta razão que existem diferentes produtos no mercado, pois assim como os remédios, eles funcionam para tratar somente aquele problema, na maioria das vezes.

No caso dos herbicidas, o uso dos defensivos auxilia na redução da infestação de plantas invasoras/daninhas. As plantas daninhas devem ser controladas, pois competem pelo mesmo espaço de solo, água e nutrientes da cultura comercial. Temos de exemplo a guanxuma (Sida rhombifolia), que é uma planta daninha que compete com a soja (Glycine max).

As plantas invasoras também interferem na assimilação da fotossíntese pela cultura principal, já que muitas vezes atinge uma maior altura do que a planta comercial, causando o sombreamento e interrompendo assim, o seu desenvolvimento.

Já no caso dos fungicidas, o controle de doenças por conta dos fungos, deve ser imprescindível, visto que a dispersão do patógeno ocorre muito rapidamente e causa um prejuízo grande se não for controlado em tempo hábil, portanto, a melhor forma de se fazer o controle, é se protegendo.

A maioria dos fungos que atacam o limbo foliar (folha) das plantas reduzem significativamente a assimilação da fotossíntese, atividade metabólica imprescindível para o desenvolvimento das plantas, os danos podem causar necrose, amarelecimento das folhas, entre outros aspectos prejudiciais. É por esta razão, que o uso dos fungicidas são bastante justificáveis, especialmente em regiões onde o clima é quente e úmido e a incidência dessas pragas é ainda maior.

Como se pôde notar, produzir alimentos não é uma tarefa fácil, já que a agricultura sofre com diversos fatores de risco, alguns, como é o caso das pragas, podem ser controlados, já outros, como o clima, realmente não podem. Portando, é de extrema importância que se realizem os tratos culturais adequadamente, a fim de obter sempre uma boa produção.

Existem ainda outros métodos de controle das pragas, fora o uso de defensivos químicos, como controle físico, controle biológico, mas efetivamente, os defensivos agrícolas químicos, são bastante eficientes, justamente por trazerem consigo anos de pesquisa e desenvolvimento na sua criação.

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

 

Veja Mais
Defensivos Agrícolas: Ministério registra novos produtos biológicos compostos de microrganismos
Transporte de Cargas: Paradas de descansos em rodovias são certificadas pelo Governo
Fertilizantes Agrícola: Nitrato de amônio na agricultura
Agricultura de Precisão: Tecnologia é aliada no processo de semeadura
Melhoramento Genético: Pesquisas no estado do Paraná para o cultivo de lúpulo

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo