Dólar fecha com queda na Bolsa, mesmo diante de um possível acordo de paz comercial entre EUA e China

  • 25/09/2019
  • 10
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Guerra comercial EUA x China

A política americana tem passado por turbulências, desde que a guerra comercial contra a China foi deflagrada. Mas, um novo episódio causou ainda mais furor na última terça (24), com a notícia de uma possível abertura do processo de impeachment contra Trump. No entanto, o clima de incerteza na Casa Branca foi aplacado por uma nova situação. É que nesta quarta-feira (25), uma fala de Trump sobre possível acordo com a China provocou uma reviravolta no mercado financeiro, com queda de 0,35% na cotação do dólar comercial, tendo sido fechado a R$ 4,15, e ligeira alta de 0,58%  no índice do Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, ultrapassando pouco mais de 104 pontos.  

Tal situação ocorreu um dia depois de Trump ter feito  duras críticas à relação comercial com a China durante seu discurso na Assembleia-Geral da ONU. O presidente americano voltou a surpreender com uma atitude que pode ser interpretada como “bandeira branca” na disputa comercial entre as duas potências globais.

“Eles [os chineses] querem muito fazer um acordo… Isso pode acontecer mais cedo do que vocês pensam”, disse Trump a repórteres em Nova York. Por outro lado, o  ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, rebateu dizendo que o país não se curvará a ameaças americanas, mas espera que uma rodada de negociações comerciais de alto nível no próximo mês produza resultados positivos.

Motivação para o impeachment

Desde o ano passado, cogita-se o impeachment nos bastidores da Câmara americana. Porém, o assunto ganhou força após o recente escândalo político envolvendo Trump, que supostamente havia pressionado o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para que investigasse o filho do rival democrata, Joe Biden, em troca de ajuda financeira na área militar.

Diante das acusações, Donald Trump liberou nesta quarta-feira (25) as transcrições da conversa telefônica registrada em julho, com o líder ucraniano, para provar que nenhuma ilegalidade ocorreu. Há quem diga que essa situação ainda vai mexer muito com mercado financeiro.

Chances reais

As chances de derrota são grandes para Donald Trump na Câmara, já que o partido democrata tem maioria na Casa, com 235 dos 435 parlamentares.

Já no Senado, tudo muda de figura. É nele que está concentrada a grande força de Trump, já que seu partido, Republicano, tem maioria: 53 dos 100 senadores.

Além disso, é nesta Casa que são necessários dois terços para vencer, ou seja, os democratas precisam convencer uma grande quantidade de republicanos para conseguir apoio suficiente pelo impeachment.

Mais tarde, a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, teria declarado: "Ninguém está acima da lei".

*Com informações Reuters/Infomoney

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola. 

 

 

Veja Mais
Fertilizante organomineral: entenda os benefícios e como eles podem aumentar a produtividade
Melhoramento Genético: Pesquisador da UFV desenvolve metodologia para fenotipagem de plantas utilizando imagens de drones
Agronegócio Brasileiro: Saldo comercial do agronegócio brasileiro bate recorde em 2020, aponta CNA
Defensivos Agrícolas: Países europeus demonstram preocupações com gergelim da Índia
Tecnologia Agrícola: Sistema é capaz de prever com uma semana de antecedência ocorrência de pragas

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar