Canola, Cevada e Mandioca: saiba qual é a previsão da safra 2018/2019 no Paraná, segundo órgão estatal

  • 25/07/2019
  • 8
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Cultivadas também em terras paranaenses, a canola e a cevada são produtos da safra de inverno que apresentam comportamento semelhante ao trigo. Dos dois produtos, apenas as lavouras de canola sofreram com o impacto das geadas, tanto quanto os campos de trigo. As perdas registradas na canola com o frio intenso, especialmente, na regão centro-sul do estado, foram de 34%. 

É o que aponta o relatório técnico do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, divulgados nesta quarta-feira (24), sobre  o panorama da safra de grãos 2018/2019, que caminha para a etapa final da colheita, cujo volume apurado é de 37,2 milhões de toneladas, que equivale a um aumento de 5% sobre a safra anterior.

A equipe AFNews trouxe uma matéria mais completa sobre os dados intitulada: “Conjuntura de grãos: 37,2 milhões de toneladas do Paraná engrossam a estimativa da safra de grãos brasileira”, basta clicar sobre o título para se inteirar.

De acordo com o Deral, este ano  foram plantados 887 hectares com canola, na região de Guarapuava, e a estimativa inicial  apontava para uma colheita de 1.500 toneladas. Com as geadas, a estimativa caiu para 990 toneladas.

O plantio de cevada encerrou recentemente, com uma área ocupada de 58.075 hectares, 4,3% maior que no ano passado. A produção prevista é de 253.997 toneladas, 20,5% maior em relação à safra do ano passado.

A onda de frio, cujos termômetros chegaram a quatro graus negativos em algumas regiões, não afetou a lavoura, que estava em estágio de desenvolvimento vegetativo,  quando da ocorrência de geadas.

Segundo ainda o órgão estatal, o plantio de cevada no estado ocorre no regime de integração com as indústrias, bem similar  ao sistema da avicultura. Em suma, cerca de 30% da produção estadual é destinada à fabricação de malte na indústria.

Segundo o Deral, 89% das lavouras de cevada estão em boas condições de desenvolvimento e a colheita começa no final de setembro a início de outubro.

Sobre a mandioca, cerca de 47% da safra de 2018/2019 já está colhida, com produtos de boa qualidade. A previsão do Deral aponta para uma colheita de 3,37 milhões de toneladas, isto é, 3% menor se comparada à safra passada.

A qualidade da raiz não é o problema, mas sim a competitividade de mercado. É que os produtores  paranaenses estão esbarrando na boa produção do nordeste – maior região consumidora do país - que tem conseguido suprir a demanda regional. Com isso, a indústria tem comprado pouco, embora se tenha notado uma queda no consumo em geral, avaliam os técnicos.

Por consequência do baixo consumo, os preços tiveram uma desvalorização do produto in natura de 31%, baixando de R$ 476,00 a tonelada comercializada em julho de 2018 para R$ 328,00 a média comercializada no mesmo período deste ano.

Fonte: Deral/AENPR

Obtenha informações estratégicas para a melhor decisão de compra e venda de produtos agrícolas em AF News Agrícola.

 

 

Veja Mais
Acordo inicial entre Estados Unidos e China deve afetar exportações do agronegócio e da indústria no RS
Melhoramento Genético: Qual é a sua importância para a produção de alimentos?
Destaques da Economia (de 13 a 17/01)
Defensivos Agrícolas: Como evitar a deriva na aplicação de agrotóxicos?
Fertilizantes: Petrobrás irá paralisar fabricação de fertilizantes no Paraná

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo