Gigantes da estrada: qual modelo peso pesado é mais indicado para o transporte de grãos?

  • 27/06/2019
  • 11
  • Categoria(s): Notícias Agrí­colas |

Em plena safra, é comum observarmos um fluxo maior de caminhões e carretas abarrotados de grãos trafegando pelas principais rodovias estaduais e federais do país. Afinal, a malha rodoviária brasileira foi criada para interligar os principais centros econômicos com os centros de produção e de carga e descarga, como portos, aeroportos e estações, para completar o destino do produto.

Segundo levantamento do Banco Mundial, 58% de toda carga no país circulam sobre rodas e  eixos. Em outros países continentais, a percentagem é muito menor. Na Austrália, por exemplo, é de 53%. Na China, 43%. Na Rússia, 32%. No Canadá, são meros 8% da logística de transporte.

Nesta matéria vamos apresentar aspectos curiosos de tamanho dos “gigantes das estradas rurais e rodovias”, suas especificações e capacidade. Em meio a essa disputa de pesos pesados, as marcas investem cada vez em modelos, tendo como principais trunfos: a tecnologia avançada, um bom desempenho, conforto para o motorista e segurança para transportar a carga.

Vamos começar  o desfile das máquinas, que podem ajudar a você, caro leitor, a compreender melhor os 'percalços do caminho'  para quem pilota  caminhão baú ou graneleiros nos tapetes de piche Brasil afora.

Convém lembrar que o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) limita o peso máximo por eixo que pode ser carregado pelos veículos. Isto porque quanto mais pressão exercida sobre o asfalto,  maior será o desgaste dele. Sendo assim, os caminhões podem levar cargas pesadas, desde que o peso esteja distribuído por vários eixos (maior número de rodas para distribuir o peso da carga).

A seguir, conheça algumas especificações de diferentes tipos de caminhões:

Veículo Urbano de Carga (VUC): O VUC é o caminhão de menor porte, mais apropriado para áreas urbanas. Esta característica de veículo deve respeitar as seguintes características: largura máxima de 2,2 metros; comprimento máximo de 6,3 metros e limite de emissão de poluentes.  A capacidade do VUC é de três toneladas.

Toco ou caminhão semi-pesado: caminhão que tem eixo simples na carroceria, isto é,  um eixo frontal e outro traseiro de rodagem simples. Sua capacidade é de até seis toneladas; tem peso bruto máximo de 16 toneladas e comprimento máximo de 14 metros.

Truck ou caminhão pesado: caminhão que tem o eixo duplo na carroceria, ou seja, dois eixos juntos. Tem por objetivo o transporte de carga maior e proporcionar melhor desempenho ao veículo. Um dos eixos traseiros deve necessariamente receber a força do motor. Sua capacidade é de 10 a 14 toneladas, possui peso bruto máximo de 23 toneladas e seu comprimento é também de 14 metros, como no caminhão toco.

Carretas: são uma categoria em que uma parte possui a força motriz (motor), rodas de tração e a cabine do motorista e a outra parte recebe a carga. A parte motriz recebe o nome de cavalo mecânico, e este pode ser acoplado a diferentes tipos de módulos de carga, chamados de semi-reboque. Veja abaixo alguns modelos:

Cavalo Mecânico ou caminhão extra pesado: é o conjunto formado pela cabine, motor e rodas de tração do caminhão com eixo simples (apenas duas rodas de tração). Pode ser engatado em vários tipos de carretas e semi-reboques, para o transporte.

Cavalo Mecânico Trucado ou LS: tem o mesmo conceito do cavalo mecânico, mas com o diferencial de ter eixo duplo em seu conjunto, para poder carregar mais peso. Assim o peso da carga do semi-reboque é distribuído por mais rodas, e a pressão exercida por cada uma no chão é menor.

Carreta dois eixos: utiliza um cavalo mecânico e um semi-reboque com dois eixos cada. Possui peso bruto máximo de 33 toneladas e comprimento máximo de 18 a 15 metros.

Carreta três eixos: utiliza um cavalo mecânico simples (dois eixos) e um semi-reboque com três eixos. Possui peso bruto máximo de 41,5 toneladas e comprimento máximo de 18 a15 metros.

Carreta cavalo trucado: utiliza um cavalo mecânico trucado e um semi-reboque também com três eixos. Possui peso bruto máximo de 45 toneladas e comprimento máximo também de 18 a 15 metros.

Bitrem ou treminhão: é uma combinação de veículos de carga composta por um total de sete eixos, que permite o transporte de um peso bruto total de 57 toneladas. Os semi-reboques dessa combinação podem ser tracionados por um cavalo-mecânico trucado.

Rodotrem: é uma combinação de veículos de carga (dois semi-reboques) composta por um total de 9 eixos que permite o transporte de um peso bruto total de 74 toneladas. Os dois semi-reboques dessa combinação são interligados por um veículo intermediário denominado Dolly. Essa combinação só pode ser tracionada por um cavalo-mecânico trucado e necessita de um trajeto definido para obter Autorização Especial de Trânsito (AET).

O bitrem é um conjunto que possui duas articulações (quinta-roda do caminhão e a quinta-roda do semi-reboque dianteiro) e o rodotrem é um conjunto que possui três articulações (quinta-roda do caminhão, engate dianteiro do dolly e quinta-roda do dolly).

Lembre-se: o que é indicado para uma carga de três toneladas não é o mesmo para transportar 10 toneladas. A chave para acertar no transporte da carga de forma segura e dentro da lei é a escolha do melhor modelo, jamais acredite no comparativo genérico que diz: caminhão bom é aquele que pode ser “pau para toda obra”. Existem modelos específicos para cada tipo de carga pesada.

Faça seu cadastro agora e acompanhe as análises de mercado de trigo, milho, soja, laranja, café, cana de açúcar, algodão, arroz e derivados. Você terá acesso gratuito por 7 dias. Após este período, poderá acessar ainda GRATUITAMENTE, nossas matérias abertas; agroindústria, logística, carnes, conjuntura de grãos e conjuntura econômica. É rápido e descomplicado. Um pé no campo e outro nos negócios. Basta clicar aqui.

Veja Mais
Acordo inicial entre Estados Unidos e China deve afetar exportações do agronegócio e da indústria no RS
Melhoramento Genético: Qual é a sua importância para a produção de alimentos?
Destaques da Economia (de 13 a 17/01)
Defensivos Agrícolas: Como evitar a deriva na aplicação de agrotóxicos?
Fertilizantes: Petrobrás irá paralisar fabricação de fertilizantes no Paraná

Quer receber as últimas atualizações de Trigo, Milho, Farinhas, Farelos, Soja e do agronegócio em seu e-mail?

Cadastrar





Sobre AF News

A AF News com sede em Curitiba PR, foi idealizada para poder atender as necessidades de empresas e pessoas com informações de mercado e análises. Com responsabilidade, ética e imparcialidade nosso objetivo é promover o questionamento e a divulgação de informações útei...
Continue Lendo